Passar para o Conteúdo Principal Top
Voltar ao início

Desporto, Turismo e Aventura no Cabeço das Pedreiras

Âmbito

Proposta de âmbito geral

Freguesia

Pedreiras

Proponente

Nuno Dinis da Silva Salgueiro

Data Submissão:

31-05-2019

Nesta proposta, propõe-se a realização dos seguintes investimentos: a. Casas do Cabeço; b. Telheiro; c. Estação de serviço para bicicletas; d. Caminhos Pedestres; e. Percurso de BTT. Propõe-se a instalação de 6 casas de madeira, na área delimitada do Parque de Campismo das Pedreiras. Com estas pequenas construções, pretende-se criar uma excelente alternativa ao campismo, oferecendo a comodidade de uma noite tranquila entre a serra e o campo e a possibilidade de que em qualquer altura do ano desfrutar desta região. Cada casa possuirá um espaço exterior, delimitado, que permite refeições ao ar livre com a devida privacidade. As Casas, albergam até 4 pessoas, confortáveis e funcionais com bom gosto. Na seleção do tipo de edifícios, procurou-se um edifício que combinasse a madeira com a utilização de cobertura em PVC a imitar a telha cerâmica. Este alojamento encontra-se no local ideal para os amantes da natureza que pretendam conhecer o Parque Nacional e praticar atividades ao ar livre, como as que são propostas, caminhadas, atletismo, BTT e observação da fauna e flora local. O Parque de Campismo dispõe de um espaço exterior amplo, sendo da maior utilidade a edificação de um telheiro de madeira, que funcionará como uma estrutura de apoio às atividades desenvolvidas nesta área, (Cabeço e limítrofes), de estar ao ar livre. O telheiro, terá as dimensões de 50metros quadrados, de 5 metros de largo por 10 de comprimento e 4 metros de altura. Além do mais, com um telheiro, há a possibilidade de usar esta área ao longo de todo o ano, mesmo quando chove, o que a torna muito mais flexível e versátil. Este espaço poderá servir para apoio a provas desportivas que se realizem nesta área, como por exemplo o “Traíl Serra dos Candeeiros”, o BTT, no campo de jogos anexo, ou de atletismo. Um outro propósito, como zona de refeições para os grupos alojados no campismo e casas, ou simplesmente para os grupos que estão em caminhada, BTT, ou outra atividade ao ar livre. O investimento numa estação de serviços para bicicletas, será complementar às Casas do Cabeço, uma vez que poderá vir a possibilitar a realização de actividades de BTT com alojamento para praticantes que se desloquem de grandes distâncias. A constituição da estação de serviços é a seguinte: Lavagem de bicicletas: Equipamento de lavagem de bicicletas, com água sobre pressão e adição de detergente específico biodegradável. Mecanismo: Motor e bomba de pressão, Potência: 1,6 kW, Caudal: 7 l/min, Pressão de serviço: 90 bar, Rotação da bomba: 1400 rpm; Oficina de bicicletas: Na oficina o desportista pode encontrar todo o equipamento necessário para reparações e enchimento de pneus. Caudal: 170 l/min / Pressão: 8 bar / Rotação da bomba: 2850 rpm e Ponto de água: Ponto de água potável, com torneira de pressão, para encher bidons, camelbacks ou outro sistema de hidratação. Propõe-se o desenvolvimento de 3 caminhos pedestres, de acordo com as distâncias, respectivamente, de 5 km, 10 km e 20 km. Estes circuitos desenvolvem-se pela cumeada da serra dos Candeeiros, na envolvente das povoações, onde domina a vegetação rasteira de altitude e a agricultura de sequeiro, para além do pinhal e alguns núcleos de matos desenvolvidos, o que permite a observação de um número significativo de espécies faunísticas (i.e. animais), com possibilidade de observação da costa litoral, em dias límpidos. O Ponto de chegada e partida será sempre o Parque de Campismo, sendo assim circulares, facilitando a logística e permitindo a realização autónoma para quem tem estadia no parque, ou para quem estaciona neste local. Todos os percursos estarão marcados, com a possibilidade de haver uma parte iluminada com Led’s, para possibilitar a sua utilização durante a noite, em segurança e sem se perder a beleza da noite. Nos dias de hoje, temos vindo a assistir, ao incremento da utilização de bicicleta por praticantes de lazer, assim, justifica-se a criação de infra-estruturas em que a prática deste desporto seja segura e orientadora do ciclista para as boas práticas do ciclismo em harmonia com a natureza. Neste sentido, propõe-se a criação de um circuito circular de BTT, marcado conforme as normas, numa distância de cerca de 10 quilómetros. Considerando, que este poderá ser um primeiro passo, para a construção de um Centro de BTT, infraestrutura de apoio construída para a prática da vertente de BTT nas suas várias disciplinas, devidamente homologado pela União Velocipédica de Ciclismo/Federação Portuguesa de Ciclismo: a infraestrutura de apoio construída para a prática de uma ou mais disciplinas de BTT, que respeita na íntegra as normas e exigências deste regulamento e que, por isso, é reconhecido pela Federação Portuguesa de Ciclismo como um centro apto e seguro para a prática do ciclismo, nas suas diversas vertentes e ou disciplinas.